O fim do G Suite edição legada e gratuita: saiba o que fazer

Postado em 8 de abril de 2022 | por
na categoria Dicas, Geral, Marketing, Tecnologia
tags , , , , , , , , , , ,
com 0 e 0

 

O fim do G Suíte

G Suite, que será descontinuado, chegou a registrar 2 bilhões de usuários ativos mensais em 2019/Imagem: Divulgação

 

Já ouviu falar no fim do G Suite? Nos primeiros dias de 2022, administradores de contas deste serviço de e-mails em todo o mundo foram pegos de surpresa com a notícia de que a versão gratuita da plataforma, lançada pelo Google há 16 anos, será descontinuada em breve. O problema deve afetar, principalmente, as pequenas e médias organizações, que têm mais restrições orçamentárias.

A justificativa da companhia consiste em uma aposta no Workspace, serviço pago lançado em 2020 que oferece melhor sinergia entre aplicativos, facilidades voltadas ao trabalho remoto e crescimento da produtividade dos usuários.

“Há 16 anos, lançamos a edição legada e gratuita do G Suite, a oferta original dos apps do Google para empresas e escolas. Em 2012, desativamos esse serviço. Agora vamos fazer a transição dos usuários restantes para uma assinatura paga do Google Workspace com base no uso”, afirma trecho do aviso enviado pela companhia.

Justificativa aceita para o fim do G Suite?

Contudo, os administradores de contas (do ainda G Suite) alegam, por sua vez, que estão satisfeitos com as funcionalidades atuais do serviço, as quais incluem documentos, planilhas e e-mails para tornar o dia a dia das empresas mais prático e funcional. Fora, é claro, o fato de ser gratuito.

É verdade que o G Suite voltado a empresas e escolas já havia terminado para novos usuários em 2012, o que sinalizava uma possibilidade de descontinuação futura. Todavia, quem já utilizava o serviço há mais tempo não esperava que um dia seria obrigado a migrar para uma versão paga.

“Muitas empresas serão impactadas, pois terão que migrar para uma versão paga do Google. Não sabemos ainda qual será a reação das empresas e o meio jurídico, mas vai ter muita história para contar”, afirma Jeferson Lelis, sócio da Abrasivo Digital.

 

O fim do g suíte grátis

Trecho de e-mail de aviso enviado pelo Google em relação ao fim do G Suite/Imagem: Google/Reprodução

Qual é o prazo para o fim do G Suite?

O prazo-limite para o fim do G Suite gratuito é 1º de julho de 2022. Entretanto, a migração é estimulada pelo Google desde já. Você já deve estar se perguntando: “e o que acontece se eu ficar quietinho(a) no meu canto sem tomar uma atitude?”.

Se você não fizer nada até 1º de junho de 2022, o Google vai começar a transição da sua organização para uma nova assinatura do Google Workspace. Para completar a transição e evitar a suspensão da conta, digite suas informações de faturamento no Admin Console antes de 1º de agosto de 2022.

Fim do G Suite: o que acontece se eu não migrar?

Infelizmente, quem deixar de migrar do G Suite corre o risco de ter outros problemas. Os usuários remanescentes têm até o dia 1º de maio – dois meses antes do prazo-limite – para realizar a migração rumo ao Workspace. Quem não se posicionar a respeito estará sujeito a interrupções no serviço e até mesmo perda de contas de e-mails.

Se você não quer mais usar o Gmail com domínio personalizado ou não precisa mais gerenciar usuários, acesse o Admin Console do Google Workspace para entrar na lista de espera da opção sem custos fnanceiros, com lançamento previsto para as próximas semanas. Se você escolher a opção sem custos financeiros ou sua assinatura for suspensa, você não vai perder o acesso aos serviços adicionais do Google, como YouTube, Google Fotos e Google Play, nem ao conteúdo pago, como compras no YouTube e Google Play.

De acordo com o Google, o próprio sistema dará início ao processo de migração gradual da conta dos usuários que não migrarem do G Suite para o Workspace, por meio de um plano que se baseará na sua utilização atual do G Suite.

Como uma espécie de contrapartida, o Google oferece gratuidade para quem aderir ao Workspace até 1º de maio, além de descontos por 12 meses a partir de 1º de julho deste ano  (2022).

Quanto custa o Google Workspace?

Com todo esse imbróglio envolvendo o G Suite, muita gente já tem perguntado quanto custa o Google Workspace. Os planos variam de R$ 24,30 mensais* por usuário (Business Starter), a R$ 81 mensais* por usuário (Business Plus) e a versão mais completa (Enterprise), a qual necessita que os interessados entrem em contato com a equipe de vendas para saber o valor.
*Valores cotados em 25/01/2022.

O fim do g suíte grátis

G Suite é utilizado por milhões de empresas em todo o mundo/Foto: Stephen Phillips/Unsplash

Listamos as principais funcionalidades dos dois planos ‘mais em conta’ do Google Workspace, para que você possa comparar os benefícios. As informações são do Google:

– Business Starter:

  • E-mail comercial personalizado e seguro;
  • Videochamadas com 100 participantes;
  • 30 GB de armazenamento em nuvem por usuário;
  • Controles de segurança e gerenciamento;
  • Suporte padrão.

– Business Standard:

  • E-mail comercial personalizado e seguro;
  • Videochamadas com 150 participantes + gravação;
  • 2 TB de armazenamento em nuvem por usuário;
  • Controles de segurança e gerenciamento;
  • Suporte padrão (upgrade pago para o suporte aprimorado).

Não quero migrar para o Workspace: o que eu faço?

Quem decidir não migrar para o Workspace poderá utilizar – como uma espécie de aperitivo – o Google Workspace, gratuitamente, até o dia 1º de julho. A partir de então, sua conta será descontinuada caso deixe de inserir seus dados para cobrança.

Importante: antes que a sua conta do G Suite seja descontinuada, há a possibilidade de exportar, por meio do recurso Takeout, os dados das contas associadas à sua empresa ou organização. Outra informação relevante é que somente administradores estão aptos a executar o processo de migração.

Opções de outros serviços semelhantes para quem não quiser migrar do G Suite para o Workplace:

Zoho Mail: único plano gratuito identificado em nossa pesquisa (para até cinco usuários), o indiano Zoho Mail apresenta valores bem em conta para organizações que precisam de mais contas de e-mail, a partir de US$ 1;

E-mail Hostinger: este serviço disponibiliza pacotes a partir de R$ 29,99/mês criando apenas 1 e-mail ou R$ 34,99/mês com possibilidade de criar até 100 e-mails. A Hostinger oferece valores bem mais atrativos no plano anual, bienal, trienal e quadrienal.

Office 365: oferece pacotes a partir de R$ 28,60*;
*Valores cotados em 25/01/2022.

Polêmica do fim do G Suite pode chegar aos tribunais

No fim de janeiro, o portal Tecnoblog informou que um escritório de advocacia americano já estuda ingressar com uma ação judicial coletiva contra o Google, em razão do fim do G Suite implicar em prejuízos para os usuários que não migrarem para o Workspace.

O processo está sendo movido pelo escritório Chimicles Schwartz Kriner & Donaldson-Smith, que tem um histórico de ações judiciais contra o Google. Uma das principais alegações é a de que os usuários do G Suite serão impossibilitados de transferir suas assinaturas ou compras para uma conta gratuita padrão no Gmail.

Você sabia?

Em 2020, o próprio Google chegou a anunciar que o G Suite havia alcançado a poderosa marca de 2 bilhões de usuários ativos mensais em 2019. A informação foi declarada ao site Axios pelo então vice-presidente do Google Workspace, Javier Soltero.

E aí? Gostou deste artigo? Deixe nos comentários a sua opinião sobre essa polêmica do fim do G Suite. Você considera justa essa migração obrigatória? Caso a sua empresa utilize o G Suite, qual será a sua atitude? Você conhece outras alternativas de e-mails mais baratas ou até mesmo gratuitas?

Compartilhe este artigo com alguém que vai gostar de saber dessas novidades!

 

x

Comments

Comments are closed.