Marketing Digital em um só Lugar: Criação de Sites, Inbound Marketing, Redes Sociais, Google Adwords, Google Street View e muito mais.

App Pocket Points recompensa estudantes que não acessam celular durante as aulas

Postado em 19 de Fevereiro de 2015 | por
na categoria Geral, Sem categoria, Tecnologia
com 0 e 0

A cada 20 minutos focados nas aulas e longe dos aparelhos celulares, alunos ganham pontos de desconto e brindes em restaurantes, lanchonetes e lojas locais. É claro que os professores também estão adorando.App Pocket Points recompensa estudantes que não acessam celular durante as aulas

Qualquer professor em atividade tem pelo menos uma reclamação semanal a respeito do uso de celulares na classe. Independente da discrição do estudante ao fazer uso dos aparelhos, já é bem definido o quanto a atenção ao assunto se perde nesse meio tempo.

Para usar a ferramenta, cada estudante deve entrar na sala de aula e abrir o aplicativo, já devidamente cadastrado. Em uma busca interna, o endereço do usuário naquele momento do acesso será identificado como ambiente acadêmico ou não. A partir de então, não é permitido nenhum tipo de acesso ao aparelho de celular enquanto a aula transcorre, e a cada 20 minutos que este objetivo for alcançado, 1 ponto é acumulado para o usuário.

O Pocket Points foi criado por dois estudantes norte-americanos, e por enquanto, seu uso é feito apenas na Califórnia. Seis faculdades e cinco colégios já utilizam a ferramenta e todas as partes envolvidas permanecem satisfeitas com o resultado até então.

Os produtos a serem comprados ou consumidos custam entre 5 e 70 pontos reunidos durante as aulas. Cerca de 100 empresas, incluindo as de fast-food, embarcaram no projeto.

Além do objetivo de expandir o projeto para mais escolas e faculdades, Richardson, um dos criadores do app, enxerga outras possibilidades à frente. Uma delas é o uso do Pocket Points para premiar alunos por um bom registro de frequência nas aulas. Ou a ideia pode ser adaptada para outra ambientação onde o uso de telefones é considerada irritante, como os restaurantes.

De acordo com Richardson, a questão em pauta não é posicionar-se contra a tecnologia, mas valorizar o comportamento daqueles que sabem a hora e lugar apropriado para utilizá-la.

x

Seja o primeiro a escrever um comentário!

Adicionar Comentário